Todo recrutador busca realizar captações cada vez mais acertadas para empresa. A questão é que conseguir gerir um processo seletivo eficientemente vai além da capacidade técnica. É exigido sensibilidade e competência do recrutador para que se faça uma leitura adequada do candidato e seu currículo.

Idealmente, se esperaria que toda pessoa que se candidata seria honesta em relação às suas conquistas, experiências e formação profissional. Infelizmente, nem sempre é assim. Logo, é preciso que o contratante consiga identificar se o candidato não está sendo verdadeiro.

Mas, afinal, como se pode perceber que uma pessoa está mentindo no processo seletivo? Separamos, neste artigo, cinco dicas para facilitar essa tarefa. Vamos a elas:

Desconfie de dados genéricos

Ao notar informações que não estejam bem descritas ou detalhadas, é imprescindível que o contratante note se o candidato não está tentando acrescentar experiências profissionais que não teve ou não foram relevantes como ele quer enfatizar.

A forma mais prática de identificar essas falhas é questionar a pessoa sobre dados que não estão claros. Se um entrevistado não consegue explicar com objetividade as informações colocadas ou se atrapalha em fornecer exemplos práticos do que foi descrito, é possível que ele esteja inserindo inverdades para atrair atenção e se destacar para o cargo. Portanto, pergunte, pergunte e pergunte.

Preste atenção em textos longos

Uma tática muito utilizada por candidatos desonestos é florear muito o currículo. Ao colocar descrições longas e prolixas, muitas pessoas acreditam que conseguem enganar o contratante a valorizar mais sua carga profissional além do mérito real que ela tem.

Portanto, é fundamental analisar com cuidado currículos e descrições que dão voltas para descrever coisas simples. Também é um mau sinal se há dados importantes no meio de várias outras informações irrelevantes. Neste caso, é bem provável que o candidato esteja tentando aumentar ou inventar algo.

Cheque referências

Uma forma eficaz de conhecer melhor a ética do entrevistado é entrar em contato com pessoas que já trabalharam com ele.

É fundamental que sejam ouvidos ex-colegas de trabalho, de diferentes hierarquias. Assim, é possível conferir informações apresentadas pelo candidato e analisar seu perfil profissional, se pode se tratar de uma pessoa conhecida por sua desonestidade.

Confira documentos

Ainda que pareça improvável, existem pessoas que mentem no currículo a ponto de inventar completamente experiências passadas, tempo que ocupou cargos anteriores e até mesmo sobre sua formação técnica.

Dessa forma, é essencial que sejam conferidos todos documentos com bastante cautela, cruzar informações e questionar o entrevistado durante o processo seletivo sobre qualquer incoerência em seu currículo.

Observe a postura do candidato

Grande parte da forma como nos comunicamos é feita de maneira não-verbal. Por isso, é desejável que o recrutador preste bastante atenção na postura que o candidato apresenta durante a entrevista.

Se um aspirante a um cargo muda frequentemente de posição, aparenta uma postura defensiva e fechada e evita contato visual, pode ser um indício de que ele não está sendo verdadeiro com o contratante.

Um processo seletivo bem realizado depende de diversos fatores. Saber detectar mentiras e candidatos antiéticos é um grande diferencial para um recrutador, que pode deixá-lo mais apto a realizar contratações valiosas para a organização e evitar custos com admissões equivocadas.

Gostou do artigo e das dicas oferecidas? Quer contribuir com outra dica ou comentário a respeito deste tema? Participe comentando aqui no post!